Cidades

Caxias - MA
SIGA O 45GRAUS
Qui, 11-12-2008 ás 11:47:53

Grupo acusado de estelionato é preso em Caxias.

Todos os detidos são da cidade de codó. A polícia apreendeu em poder dos suspeitos de estelionato: 08 cartões bancários, a quantia de 2.960 reais, 01 pen drive, 03 aparelhos de celular, além de papéis com senhas bancarias. O grupo voltava de Teresina para codó quando foi abordado pela Policia Rodoviária Federal e encaminhados ao 1º DP. Os presos são: Marcos Antonio Barbosa, Francisco Carlos Moraes, Carlos Fernando Teixeira, Adeglair José Antonio de Souza, e Ricardo Luis Cintra Fortes este Ultimo o único que tem passagem pela policia. Marcos Antonio, promotor de eventos em codó, um dos 05 detidos, falou a nossa reportagem e afirmou não ter participação em qualquer fraude. 

Eram 10 horas da noite nesta terça feira quando o grupo suspeito de estelionato foi parado no posto Policia Rodoviária. Ao serem revistados a policia acabou descobrindo que um dos deles, Ricardo Luis Cintra já teve passagem pela policia por crime de estelionato.

“Eu nunca participei de nenhuma maracutaia, de nenhuma fraude, de nenhum roubo, eu sair de codó pra passear em Teresina, e no dia de vi embora nós passamos realmente na casa do Ricardo. Nós cedemos carona nós éramos três no carro, e depois cedemos carona pra outro rapaz agora infelizmente nós fomos parados pela barreira e os dois foram encontrados com as coisas. Ou seja, eu estava no lugar errado, com as pessoas erradas e se eles cometeram um crime eu acho que eles têm que responder por isso. Mas eu não cometi não estou querendo fazer de mim um santo, mas eu sou pai de família tenho dois filhos” afirma Marcos Antonio, um dos presos.

Segundo o delegado do 3ª DP Renato Cordeiro, “Os policiais fizeram uma busca pessoal e uma revista e acabaram encontrando em poder dos conduzidos a quantia de 2960 reais além de vários cartões bancários em nome de terceiros por esse motivo eles foram conduzidos até a delegacia e autuados em flagrante pelo crime de estelionato e formação de quadrilha”.

A polícia acredita que os acusados sejam parte de uma quadrilha de hacker’s que invadem contas bancarias, todos foram transferidos para a CCPJ - Casa de Custodia de Presos, onde vão ficar a disposição do judiciário.

 

Veja também