Blogs

Ponto G
SIGA O 45GRAUS
Qua, 15-04-2009 ás 09:41:22

Mitos e verdades sobre pílula anticoncepcional

1.Pílula engorda?
Pílula engorda? Em alguns casos, sim. “O estrógeno, um dos hormônios que compõem a maioria dos anticoncepcionais, pode provocar aumento de apetite. A progesterona, outro hormônio presente, pode induzir a retenção de líquidos e deixá-la mais inchada”, diz Ângela Maria Bacha. No segundo caso, não há aumento de gordura propriamente dita, mas você sente na balança (líquido pesa!) e no corpo (que incha!). No entanto, segundo a especialista, esses sintomas incomodam apenas cerca de 15% das mulheres. “Muitas vezes, o anticoncepcional engorda por efeito psicológico. A paciente usa a pílula como desculpa para justificar aqueles quilinhos extras que, na verdade, têm origem lá naquele chocolate a mais”, diz a ginecologista. O jeito é continuar de olho na alimentação e também no peso. Sentiu que engordou sem ter modificado os hábitos à mesa? Converse com seu ginecologista e tente encontrar um método que não provoque o problema.

2.Troco a pílula com frequência porque não me adapto a nenhuma. Isso causa algum problema?

“Não é a melhor estratégia. A troca deve ser feita apenas com recomendação médica. Os efeitos colaterais mais comuns, como enjoos, retenção hídrica e dor de cabeça costumam ser transitórios e tendem a desaparecer nos meses seguintes”, diz César Eduardo Fernandes.

3.Entre pílula, implante, adesivo, injeção e DIU, qual deles interfere menos no peso?

DIU é o método que teoricamente provoca menor interferência na balança, já que coloca menos hormônio na circulação. Em segundo lugar, aparecem empatados a pílula é o método que teoricamente provoca menor interferência na balança, já que coloca menos hormônio na circulação. Em segundo lugar, aparecem empatados a pílula.

4.Pílula pode aumentar a celulite?

Indiretamente, sim, porque a celulite tem uma relação direta com a retenção hídrica, um dos efeitos colaterais de alguns anticoncepcionais. Quando você está inchada, a circulação fica prejudicada e a eliminação de toxinas também, o que favorece o aparecimento da celulite.

5.Depois de tomar pílula por muito tempo, devo parar por alguns meses?

Antigamente, isso era importante, mas hoje não é mais. “Há muitos anos, os anticoncepcionais disponíveis tinham uma carga hormonal muito alta e parte desses hormônios se acumulavam no tecido gorduroso da mulher. A pausa fazia uma espécie de ‘limpeza’ no organismo”, diz Ângela Maria Bacha. Atualmente, com a modernização da pílula, que contém doses bem baixas de hormônios, esse intervalo é desnecessário.

6.Ouvi falar de pílulas com doses baixíssimas de hormônios. Como saber se ela é indicada para mim? Para usar esse tipo de pílula, é fundamental ser disciplinada, uma vez que é necessário tomar o comprimido sempre no mesmo horário para garantir eficiência. Esse anticoncepcional também pode induzir a um pequeno sangramento durante todo o mês, principalmente nas primeiras cartelas. “É um sangramento chatinho e não é toda mulher que tolera”, diz Ângela Maria Bacha.

7.Comecei a tomar pílula e notei umas manchas escuras no rosto. Uma coisa tem relação com a outra?

Sim. Os anticoncepcionais que contêm estrógeno podem causar manchas em quem tem predisposição quando combinado com exposição ao sol. “O estrógeno estimula a produção da melanina, responsável pela pigmentação da pele”, fala César Eduardo Fernandes. “Essas manchas acastanhadas chamam-se melasmas e aparecem com maior frequência no rosto e no colo”, diz o especialista. Como são difíceis de remover, ao primeiro sinal, converse com o seu médico e substitua o método escolhido.

8.Como age o anticoncepcional em forma de adesivo?

“A ação é exatamente a mesma do comprimido: ele bloqueia a ovulação. A quantidade de hormônios também é muito semelhante. O que muda é a apresentação, a pílula entra pela boca e o adesivo tem sua absorção pela pele”, explica Rosa Maria Neme. A metabolização também é diferente. Enquanto a pílula exige do fígado dois passos para ser processada, o adesivo precisa de apenas um, o que sobrecarregaria menos o organismo. Tem outro ponto: você precisa se lembrar de tomar a pílula todos os dias, já o adesivo é trocado uma vez por semana.

9.Sou fumante, posso tomar pílula?

Os hormônios que compõem a pílula anticoncepcional não combinam com o cigarro. “Se for inevitável, dê preferência ao adesivo que é absorvido pela pele e exige menos do fígado – e por isso poupa o organismo (veja questão anterior). De qualquer forma, se você é fumante, discuta com seu médico o melhor anticoncepcional para você”, orienta Ângela Maria Bacha.

10.Devo trocar o método que uso de tempos em tempos?

Não se mexe no time que está ganhando! Se você não sofre com efeitos colaterais e consulta seu médico regularmente, pode continuar com o seu método tranquilamente.

11.Chá, dieta ou algum medicamento podem afetar a eficácia do anticoncepcional oral?

“O chá e a dieta não costumam interferir na eficiência dos anticoncepcionais. No entanto, alguns antibióticos (rifampicina, ampicilina, tetraciclina) e remédios usados para tratamento de epilepsia prejudicam, sim, a ação da pílula”, diz César Eduardo Fernandes. Se por algum motivo você precisar usar um desses medicamentos, considere que você não está completamente protegida. O melhor aqui também é conversar com o seu médico.

12.Esses métodos que contêm hormônios diminuem a libido?

Os estudos mostram que não, na maior parte dos casos. Entretanto, algumas mulheres sentem um aumento de desejo, principalmente aquelas que estavam travadas por medo de engravidar. Embora sejam reações mais psicológicas do que físicas, o inverso também é verdadeiro. Quem está louca para ter filho, mas adota um método anticoncepcional, pode sentir uma leve queda na libido”, fala Ângela Maria Bacha

13.Aquela pílula que interrompe a menstruação pode ser tomada por qualquer mulher?

“Esse anticoncepcional é o que chamamos de uso contínuo porque você toma sem fazer a pausa mensal. Ele é feito só de progesterona e a mulher para mesmo de menstruar”, diz Rosa Maria Neme. Ele tem indicações específicas. Geralmente, é recomendada para quem não pode tomar estrógeno, fuma demais ou tem indicação médica para parar de menstruar (porque tem uma TPM muito forte ou apresenta algum quadro no qual interromper a menstruação é uma boa saída, por exemplo, endometriose).

14.Tomo pílula há mais de dez anos. Terei dificuldade para engravidar?

Não. “Depois de três meses, a mulher recupera a mesma fertilidade de antes”, fala Ângela Maria Bacha.

15.Tem um e-mail circulando na internet dizendo que anticoncepcional causa trombose. É verdade?

“O e-mail é alarmista, mas a trombose pode aparecer numa parcela pequena de mulheres, principalmente nas fumantes, com mais de 35 anos ou com predisposição genética”, diz Rosa Maria Neme. “Se é o seu caso, vale consultar o médico, que, após pedir exames mais específicos, pode decidir que método é mais indicado para o seu caso”, fala a especialista

16.Posso usar a pílula do dia seguinte como método anticoncepcional?

“Não. Ela desregula o ciclo, tem efeitos colaterais graves e deve ser usada somente em casos de emergência, com conhecimento e acompanhamento do seu médico”, diz Rosa Maria Neme.

 

Abril

Veja também