Escutec aponta vitória de Edvan Brandão na eleição de Bacabal

Por: da Redação

Eleição acontece no dia 28 de outubro e foi determinada após a cassação do ex-prefeito Zé Vieira.

Escutec aponta vitória de Edvan Brandão na eleição de Bacabal Edvan Brandão, prefeito de Bacabal. Foto: ascom

Pesquisa Escutec realizada em Bacabal mostra que, se fosse hoje, a eleição suplementar para prefeito seria vencida pelo atual presidente da Câmara e prefeito interino, Edvan Brandão (PSC). Ele aparece com 50% das intenções de voto, contra 33% de César Brito (PPS).

Na sequência aparecem Luisinho Padeiro (5%), Giselle Veloso (3%) e Professor Maninho (15). Dos entrevistados, 5% disseram não votar em nenhum deles e outros 3% ainda não sabem em quem votar, ou não responderam.

O instituto Escutec ouviu 400 eleitores, entre os dias 28 e 30 de setembro. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-05523/2016, com margem de erro de 5 pontos percentuais, para mais ou para menos, e intervalo de confiança de 95%.

Cassação - A eleição suplementar de Bacabal ocorrerá no dia 28 de outubro, data do 2º turno das eleições gerais em todo o país e foi autorizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em julho deste ano.

Segundo o presidente do TRE-MA, desembargador Ricardo Duailibe, a escolha da data visa a garantir economia aos cofres públicos. “Ela [eleição na data do 2º turno] garante economia de custos por aproveitar toda a logística utilizada no 1º turno das eleições 2018”, explicou.

Uma nova eleição para os cargos ocorrerá devido à manutenção, pelo TSE, do reconhecimento da inelegibilidade de José Vieira Lins, eleito prefeito de Bacabal em 2016.

Vieira obteve 20.671 votos em 2016 – contra 18.330 do deputado estadual Roberto Costa (MDB) -, mas teve o registro de candidatura indeferido pela juíza Daniela de Jesus Bonfim Ferreira, então titular da 13ª Zona Eleitoral.

O líder político está com os direitos políticos suspensos porque foi condenado por improbidade administrativa e enriquecimento ilícito. A condenação, pelo Tribunal de Justiça do Maranhão antes da eleição de 2016, foi confirmada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em 2017, o que ocasionou a cassação do, agora, ex-prefeito.

 

Fonte: Imirante/Jornal O Estado - MA

 

 

Sidebar Informações