Barras: Ex-gestores deixaram de repassar R$ 7 milhões de FGTS

Por: Rodrigo Antunes

Dívida chegou nesta semana para que atual gestão pague. Os descontos nos salários de servidores aconteceu em gestões anteriores e superam os R$ 7 milhões.

Barras: Ex-gestores deixaram de repassar R$ 7 milhões de FGTS Dívida deixada por ex-gestores na Prefeitura de Barras

No início desta semana, a Prefeitura Municipal de Barras foi notificada de mais uma grande dívida deixada pelas gestões anteriores do município.

Desta vez, o débito é com o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e soma uma quantia de R$ 7.329.442,57 (Sete milhões trezentos e vinte e nove mil quatrocentos e quarenta e dois reais e cinquenta e sete centavos). 

Segundo os dados trazidos pelo Ministério do Trabalho Emprego (MTE) os débitos apurados dizem respeito ao período entre os anos de 2012 e 2017 e devem ser negociados em até 10 dias pela atual gestão. 

A dívida pode prejudicar o município e coloca-lo na lista de inadimplentes, inviabilizando a vinda de recursos e investimentos do Governo Federal para o município de Barras.

Esta é mais uma surpresa da ‘herança maldita’ deixada pelas gestões anteriores do município de Barras, que se somam a cerca de R$ 15,8 milhões do INSS e mais R$ 10 milhões da Receita Federal que haviam sido negociados. Os valores somados, juntamente com o atual, resultam em um 'rombo' de cerca de R$ 32 milhões.

A atual gestão da Prefeitura de Barras vai entrar promover mais uma ação de improbidade administrativa contra as antigas gestões do município, a fim de apurar o real destino dos recursos que não foram usados no pagamento das dívidas. Os débitos deixados consomem mais de R$ 80 mil mensais em parcelas, dinheiro que poderia ser investido em outras áreas da administração, e deve aumentar agora com a 'nova' dívida que acaba de chegar.

 

 

Sidebar Informações