Na câmara, aliados de Soliney criticam saúde de Coelho Neto

Por: Ana Paula Lima

Os vereadores relatam sobre a situação precária do sistema de saúde pública do município.

Na câmara, aliados de Soliney criticam saúde de Coelho Neto Júnior Santos, Raimundão e Rafael Cruz, vereadores de Coelho Neto. Foto: Reprodução.

Em debate realizado na Câmara Municipal de Coelho Neto (MA) na noite desta segunda-feira (21), foi pautado as condições do sistema público de saúde do município. Alguns vereadores da base aliada ao prefeito Soliney Silva (PMDB) fizeram críticas a situação vivida por vários coelho-netenses que precisam se dirigir aos centros de saúde.

Na sessão da câmara, o primeiro vereador a se manifestar sobre o assunto foi Júnior Santos (PMDB), que falou sobre o Hospital Municipal, em que segundo ele, o hospital vive um caos, falta tudo, de acordo com denúncias dos próprios funcionários. Além da falta de médicos, a unidade sofre também com a falta de simples medicamentos.

Alguns procedimentos estariam sendo deixados de ser feitos pela falta de profissionais e materiais. Em sua denúncia, Júnior Santos cobrou do prefeito esclarecimentos em relação ao poder atribuído ao ex-secretário de saúde Emerson Ramos que ainda tem na pasta da Secretaria de Saúde, pois tem partido dele as demissões e ordens das mais diversas que não é de conhecimento do atual secretário, Dr. Adão Ramos.

Ainda durante a sessão, o então Presidente da Câmara, o vereador Raimundão (PMDB), criticou a retirada da ambulância do povoado Bananalzinho, município de Coelho Neto.

- Tiraram sem falar com ninguém, não respeitaram sequer o vereador que representa aquela comunidade. Declarou Raimundão na plenária.

Outro vereador que apresentou insatisfação com a retirada da ambulância do interior foi Rafael Cruz (PMDB) que também pertence à base aliada do governo de Soliney. As críticas foram feitas referentes à retirada da ambulância de forma arbitrária e sem nenhum aviso prévio do povoado Santana Velha, segundo o vereador.

Os vereadores denunciaram ainda na plenária que lugares destinados à saúde estavam sendo fechados por falta de equipamentos, como o Centro de Atenção Psicossocial – CAPS e Centro de Especialidades Odontólogicas – CEO. As denúncias feitas pelos vereadores foram elogiadas pelos presentes na câmara.

Com informações do Portal Gaditas

 

 

Sidebar Informações