Presos fazem motim em penitenciária de Floriano

Por: Francisca Pinto

Os detentos reclamam da falta de visita de seus familiares por conta da greve dos agentes penitenciários e da qualidade da alimentação.

Presos fazem motim em penitenciária de Floriano Penitenciária de Floriano/Foto: reprodução redes sociais

Detentos dos pavilhões A, B e C da Penitenciária Gonçalo de Castro Lima (Vereda Grande), em Floriano, fizeram um motim no final da manhã desta quinta-feira (21). Os presos utilizaram de vergalhões da própria unidade e pedras para atacar os agentes.

Os detentos reclamam da falta de visita de seus familiares por conta da greve dos agentes penitenciários e da qualidade da alimentação.

Leia também: Agentes penitenciários deflagram greve por tempo indeterminado

De acordo com a Secretaria de Justiça, o motim foi controlado por volta das às 13h. os presos dos três pavilhões da unidade penal , que tem 380 detentos, foram colocados na área de contenção, mas cerca de 30 presos ainda estão tentando destruir as celas.

A fim de conter os presos, os agentes e policiais militares dispararam balas de borracha. Os danos nos três pavilhões da unidade foram de média proporção, sedundo a Secretaria de Justiça.

 

Sejus                    

O secretário de Justiça, Daniel Oliveira, afirma que a motivação dos presos para se amotinarem foi o não cumprimento, por parte do "comando de greve", da determinação do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) para que os servidores retornem às atividades.

“Vamos comunicar, na Justiça, por meio da Procuradoria Geral do Estado, o fato de o tal 'comando de greve' não estar cumprindo com a determinação judicial de permitir que as visitas entrem com sacolas nos presídios e vamos cobrar para que arquem com o gasto que teremos que fazer na recuperação da unidade", afirma o gestor.

Oliveira reforça que, “lamentavelmente, o comando de greve já está há 10 dias prejudicando muitas ações no sistema prisional, além de não cumprir na integralidade a determinação do TJ, ao boicotar a entrada de familiares com sacolas ou alimentos e pertences para os presos".

 

 

Sidebar Informações