Candidatos fazem denúncia ao MPPI sobre concurso da Sejus

Por: Rodrigo Antunes

Após recomendação do MPPI para cancelamento do certame, candidatos relataram denúncias e opiniões sobre nova prova realizada pela Sejus.

Candidatos fazem denúncia ao MPPI sobre concurso da Sejus Candidatos em reunião com o MPPI. Foto: Ascom/MPPI

Nesta segunda-feira (17), os candidatos ao concurso de agente penitenciário, que recentemente teve recomendação par anulação do certame, estiveram em reunião com o Ministério Público do Piauí.

A reunião aconteceu no Prédio das Promotorias de Justiça de Teresina, com a Promotora de Justiça Leida Diniz, titular da 35ª Promotoria de Justiça de Teresina. O concurso, realizado pela NUCEPE, teve recomendação feita à Secretaria Estadual de Justiça para anulação do certame. Os 'concurseiros' denunciaram à promotora algumas irregularidades que aconteceram no certame.

Uma das integrantes da comissão relatou que na última prova fez a mesma pontuação da prova anterior, e que a NUCEPE não teria capacidade para realizar a segunda prova devido a fraude ocorrida na realização da primeira. Ela acrescentou que alguns classificados estão sendo apontados, injustamente, como suspeitos de fraudar o concurso.

Outro candidato afirmou que a NUCEPE não deixou a desejar na fiscalização da prova reaplicada, que em momento algum houve benefício na realização e por isso, não seria proporcional a anulação do certame, pois os prejuízos seriam incalculáveis, uma vez que em reunião com o Secretário de Justiça, o mesmo afirmou que se por acaso o certame fosse anulado, provavelmente, outro só seria realizado novamente após o ano de 2018, por ser ano eleitoral.

Os representantes do Ministério Público argumentam que várias falhas ocorreram no processo de realização e correção do concurso, como falhas na correção da prova de informática, assim como a divulgação de gabarito similar em concurso bastante questionado desde o início. As falhasgeraram dúvidas por parte dos candidatos pela falta de transparência do certame somadas aos problemas de fraudes ocorridas na primeira fase deste e outros concursos realizados no Piauí através do NUCEPE.

Na ocasião, estiveram presentes os reclamantes representados pela comissão de classificados do concurso. Um deles, Rinaldo Carvalho, iniciou a audiência afirmando que a comissão não pretende a anulação do concurso, e nem de nenhum privilégio, o interesse da mesma é somente no andamento do referido certame.

Concluído o atendimento realizado nesta segunda, o Ministério Público vai continuar acompanhando o cumprimento de todas as recomendações feitas à SEJUS.

Com informações da ascomMPPI

 

 

Sidebar Informações