Com agentes penitenciários em greve Estado reforça segurança nos presídios

Por: Francisca Pinto

A medida do governo tem como objetivo atuar preventivamente na manutenção da ordem no sistema prisional e, caso ocorra algum distúrbio, garantir a contenção

Com agentes penitenciários em greve Estado reforça segurança nos presídios Penitenciária Vereda Grande em Floriano/Foto: Sinpoljuspi

O governo do Estado, através da Secretaria de Justiça (Sejus), reforçou a segurança nas unidades prisionais, após agentes penitenciários deflagrarem greve na manhã desta segunda-feira (11). Equipes especiais de policiais militares, agentes penitenciários e policiais rodoviários federais estão de prontidão.

A categoria reivindica reajuste salarial, melhores condições de trabalho no sistema prisional, a convocação dos concursados e denunciam sobrecarga de trabalho, entre outras.

Leia também: Agentes penitenciários deflagram greve por tempo indeterminado

A medida do governo tem como objetivo atuar preventivamente na manutenção da ordem no sistema prisional e, caso ocorra algum distúrbio, garantir ação de contenção imediata.

De acordo com a Secretaria de Justiça, de 2015 a 2017, os agentes penitenciários tiveram reajustes salariais que, considerando as vantagens remuneratórias, chegam a mais de 60%, com aumentos que chegam a quase R$ 3.000.

Segundo Jefferson Dias, diretor de assuntos sindicais do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), o governo não fez nenhum reajuste salarial, apenas cumpriu um acordo feito em 2013. “O reajuste que o governo fica alegando que deu um aumento de 60% nesses últimos dois anos e é mentira. Eu desafio o secretário o governador do Estado provar que foi um aumento, pois o que ele fez foi cumprir um acordo de 2013 que o Wilson Martins aumentou nosso salário e parcelou em quatro vezes e o que atual fez foi pagar as parcelas que havia sido combinada, ele não deu aumento”, explicou.

A secretária acrescenta que os agentes penitenciários do Piauí passaram a receber, a partir de janeiro de 2016, o adicional de insalubridade no valor de R$ 400 – uma taxa que não existia, antes disso. Também o auxílio-refeição aumentou de R$ 97 para R$ 330 – um reajuste de 240%.

“O salário de um agente do Piauí é o segundo maior do país, ficando atrás apenas do Distrito Federal. Isso é resultado do constante diálogo com a categoria, de modo a garantir que as conquistas sejam alcançadas de acordo com as condições do Estado”, observa Oliveira.

 

Concurso e novas unidades prisionais

A Secretaria de Justiça informa que dentro do Plano de Modernização do Sistema Prisional, o Estado está ampliando o número de vagas, com a construção de novas unidades penais, e aumentando o número de agentes, com o concurso público para 400 vagas.

Leia também: Concurso da PM é reaplicado neste domingo em Teresina

Em 2015, foi inaugurada a Casa de Detenção de Altos, com 140 vagas. Em 2017, será inaugurada a Casa de Detenção de Campo Maior, com 160 vagas. Até 2018, está prevista a entrega da Cadeia Pública de Altos, que terá 600 vagas.

Mais dois presídios, um em Oeiras (196 vagas) e Bom Princípio (334 vagas), também serão construídos. Já o concurso para agentes penitenciários, que já foi concluído, permitirá o reforço do efetivo, tanto para os atuais presídios como para os novos.

 

 

 

Sidebar Informações