Duas mortes violentas são registradas no feriado em Teresina

Por: Juliana Gomes

Um jovem foi assassinado por um motoqueiro no bairro Alto da Ressurreição. Já no povoado Chapadinha Norte, um homem foi morto em uma clínica clandestina.

Duas mortes violentas são registradas no feriado em Teresina Jovem foi executado na região do Grande Dirceu na porta da casa de um amigo.

Duas mortes violentas foram registradas em Teresina, na segunda (1), feriado do Dia do Trabalhador. Um homem morreu com golpes de foice dentro de uma casa terapêutica para dependentes químicos e um jovem foi assassinado a tiros no bairro Alto da Ressurreição.

Matheus Vitor da Silva, 19 anos foi alvejado a tiros ao chegar à casa de um amigo na região do Grande Dirceu, bairro Alto da Ressurreição, zona sudeste da capital. Segundo informações dos vizinhos, os amigos ficaram na calçada conversando quando um casal em uma moto sinalizou para outro motoqueiro efetuar os tiros.  Matheus morreu na hora com um tiro na cabeça e o amigo conhecido como Marquinhos foi baleado e socorrido. A polícia ainda não sabe a motivação do crime.

Já no povoado Chapadinha Norte, zona rural de Teresina, um homem foi morto por seu companheiro de quarto em uma clínica de reabilitação clandestina para dependentes químicos. A vítima identificada apenas como Etevaldo foi assassinada por Francisco que foi preso.

Casa terapêutica clandestina

O local onde ocorreu o assassinato de um dependente químico não é credenciado pelo Conselho Estadual de Políticas de Combate as Drogas, segundo informações do presidente da instituição, José Gouveia. De acordo com ele, o órgão ficou sabendo do caso e constatou que a clínica havia sido desativada há quase dois anos e que há um mês teria voltado a funcionar através de um pastor que assumiu o comando.  

“Muitas pessoas tem se levantado com boa vontade para ajudar o próximo, mas existe uma legislação específica e não é só de boa vontade que a coisa vai funcionar. Nós tivemos conhecimento dessa situação e eu fui tentar me informar sobre o que estava acontecendo e nós chegamos a essa informação, de uma instituição que esteve desativada por quase dois anos, que foi passada para um pastor e ele sem conhecimento de como funcionava pegou quatro usuários e colocou em local tentando reativar a instituição. O conselho é o órgão fiscalizador dessas instituições, ele deveria ter nos procurado, se ater a legislação pra só então começar a trabalhar com a instituição”, explicou o pastor.

O presidente também denuncia que existem outras casas de apoio que não estão credenciadas junto ao conselho.

“Existem outras instituições que estão funcionando de forma irregular, que não deixam monitores cuidando dos seus acolhidos. Tem muitas instituições aqui em Teresina que acolhidos mais velhos ficam cuidado de outros. Então, a gente quer alertar tanto a população como a essas instituições que procurem se regularizar, que busquem o conselho”, declarou.  

 

 

Sidebar Informações

Destaques