Empresário é preso por furto de energia na zona leste de Teresina

Por: Rodrigo Antunes

Polícia constatou que o homem estava há 8 anos sem utilizar medidor. Empresário é dono de fábrica de rejuntes e argamassas de Teresina.

Empresário é preso por furto de energia na zona leste de Teresina Delegado Laércio Evangelista/Foto: Francisca Pinto

Policiais da GRECO (Grupo de Repressão ao Crime Organizado) prenderam na manhã desta sexta-feira (14) o empresário de iniciais F.K.B, dono da fábrica de argamassas e rejuntes Kalfiz. O empresário é acusado de furtar energia e foi preso pelos policiais em sua residência, no Edifício Guimarãoes Rosa, bairro Jóquei, zona Leste de Teresina.

De acordo com o delegado Laércio Evangelista, o GRECO recebeu uma denúncia anônima no início da manhã e ao fazer a averiguação constatou-se que o empresário estava há 8 anos sem usar o medidor de energia, o que é proibido por lei.

Somente no ano de 2017, a polícia já realizou mais de 60 prisões em flagrante aos usuários que fazem furto de energia. Desde o inicio do ano o GRECO juntamente com a Eletrobras vem fazendo operações de combate ao furto de energia.

O delegado ainda acrescentou que em depoimento o empresário confessa o crime. “Ele confessa que estava há 8 anos sem pagar nenhuma conta de energia e alegou que a responsabilidade dos pagamentos era de um funcionário”, disse.

Segundo o chefe da segurança patrimonial da Eletrobras, Carlos Petrônio Araújo, o prejuízo causado pelo empresário é de certa de R$ 95.000,00. “Estamos fiscalizando todos os consumidores, em todas as zonas, e hoje recebemos essa denuncia desse condomínio de classe média alta e chegando lá constatamos que estava sem medidor. O prejuízo que ele deu para a Eletrobras foi R$ 95 mil reias. Agora a empresa vai recuperar essa receita conforme as normas da Anel”, afirmou.

Carlos Petrônio Araújo/Foto: Francisca Pinto

O empresário foi conduzido para o GRECO e autuado em flagrante pelo crime de furto de energia. Foi arbitrada uma fiança no valor de 40 salários mínimos (mais de 37 mil reias), caso aja o recolhimento dessa fiança, ele responderá em liberdade.

Com informações da repórter Francisca Pinto, direto da GRECO

 

 

Sidebar Informações