Homem morre eletrocutado durante ato com Dilma; Vídeo

O homem, não identificado, de aproximadamente 25 anos, sofreu uma parada cardíaca e traumatismo craniano e não resistiu.

Homem morre eletrocutado durante ato com Dilma; Vídeo Homem morre eletrocutado durante ato com Dilma

Uma imagem chocante marcou o ato Jornada Nacional Pela Democracia, realizada nessa segunda-feira (25), no Centro de Aracaju, que contou com a presença de Dilma Rousseff. Na tentativa de acompanhar o discurso da presidente afastada, um homem subiu em um poste, no momento em que sofreu uma descarga elétrica e caiu.

O homem, não identificado, de aproximadamente 25 anos, sofreu uma parada cardíaca e traumatismo craniano e não resistiu. O corpo caiu inerte em frente à secretaria de Saúde do Governo do Estado. Coincidentemente, o governo é administrado pelo PT local.

Uma pessoas que estava participando do evento filmou o exato momento em que o acidente aconteceu. (assista ao vídeo no final da matéria).

Dilma chegou à capital sergipana por volta das 15h30, e seguiu para o Centro da cidade e por volta das 16h30 se reuniu com lideranças do PT, PCdoB e do MST, onde discursou por cerca meia hora e mais uma vez afirmou que é vítima de um golpe. “Não é um golpe com armas na mão. Eles estão me julgando por um não crime. Não só o Senado, mas o MPF me inocentou, mas isso para eles pouco importa, o que importa é me afastar da presidência. É implantar um processo de retrocesso. Temer vai privatizar o país. Não vou renunciar, não sou frágil. Não tenho conta na Suíça. Tenho posição, não sou recatada”, disparou.

"Eles querem acabar com o Mais Médicos, parando de contratar os médicos cubanos. E querem impedir que o povo tenha saúde. Querem fazer um plano de saúde mínimo conduzir a saúde dos pobres como se fosse diferente da dos ricos”, disse.

A educação foi alvo de críticas de Dilma. “Vários programas estão sendo encerrados. O Pronatec está praticamente cancelado, pois não fazem nenhuma matrícula. Para onde vai o dinheiro do orçamento? A tendência é tirar direitos dos trabalhadores”.

Segundo os organizadores, 20 mil pessoas estavam no evento. A Polícia Militar não fez estimativa. Apesar do acontecido, ninguém se pronunciou sobre, durante o evento.



Fonte: G1

 

 

Sidebar Informações