Piauí intensifica barreiras sanitárias em divisas para prevenir chegada de cepa indiana

Por: Veridiana Carvalho

. As medidas buscam ampliar o trabalho de detecção e acompanhamento de novos casos

Piauí intensifica barreiras sanitárias em divisas para prevenir chegada de cepa indiana Ao todo serão reforçadas 25 barreiras

O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, esteve reunido, na manhã desta terça-feira (25), com uma equipe técnica da Sesapi que integra o programa Busca Ativa e com o representante do comando da Polícia Militar, tenente-coronel Francisco Ramos, a fim de para discutir estratégias e o reforço de barreiras sanitárias nas fronteiras do estado. As medidas buscam ampliar o trabalho de detecção e acompanhamento de novos casos, além de ser uma medida diretamente ligada à prevenção da contaminação da cepa indiana, uma vez que um indivíduo com a variante foi identificado no Maranhão, na última semana.

O reforço das barreiras sanitárias, em 25 pontos de divisa entre os estados do Piauí e Maranhão, e na capital Teresina, foi a principal pauta da reunião. As barreiras vêm se mostrando essenciais no enfrentamento à pandemia desde seu início, em abril de 2020, quando se tornaram peças fundamentais na conscientização da população que se desloca pelo estado e a identificação e rastreamento de novos casos da Covid-19 no Piauí.

O secretário Florentino Neto destaca que o objetivo é a intensificação do trabalho das barreiras sanitárias nos pontos essenciais do estado, como fronteiras, rodoviárias e aeroportos. “Neste momento, o que nos chama mais a atenção, e se mostra como nossa prioridade, é a intensificação das barreiras sanitárias nos limites com o estado do Maranhão. Fizemos uma revisão das 25 barreiras, além das barreiras de Teresina, que atuam nas divisas entre os dois estados. Elas serão reforçadas e trabalharão 24 horas para que possam identificar casos sintomáticos e suspeitos, dando o direcionamento que os protocolos recomendam”, disse o secretário Florentino Neto.

As 25 barreiras que serão reforçadas estão localizadas nos municípios de Ilha Grande; Parnaíba; Gilbués; Santa Filomena; Ribeiro Gonçalves; Uruçuí; Antônio Almeida; Porto Alegre do Piauí; Guadalupe; Jerumenha; Floriano; Amarante; Palmeirais; Nazária; União; Miguel Alves; Porto; Campo Largo do Piauí; Matias Olímpio; Madeiro; Joca Marques; Luzilândia; Joaquim Pires; Murici dos Portelas e Buriti dos Lopes.

O tenente-coronel Francisco Ramos destacou o papel da Polícia Militar, que vem atuando com uma parceria direta nos trabalhos das barreiras. “Vamos intensificar as abordagens nas barreiras, apoiando as equipes do Busca Ativa e dando a garantia que eles executem os seus trabalhos. O principal foco nesse momento serão as barreiras localizadas nas divisas do Maranhão e queremos garantir esse trabalho que tem o foco apenas de garantir a vida dos piauienses”, afirmou.

A coordenadora do Programa Busca Ativa, Dilia Falcão reforça que, neste momento, é essencial o trabalho em conjunto aos municípios, além da cooperação da população, para que as barreiras possam cumprir seu papel de forma efetiva. “Estamos há um ano trabalhando com as barreiras sanitárias e a cooperação da população é de suma importância. Estamos ali para orientar, mas ao mesmo tempo conseguimos identificar precocemente novos casos e dessa forma podemos ter um acompanhamento mais adequado de casos. Caso alguém esteja se deslocando e esteja com sintomas, procure as barreiras sanitárias, dessa forma a população estará ajudando o trabalho de enfrentamento à pandemia e estaremos cada vez mais perto de ganhar a batalha contra a Covid”, declarou.

 

 

Sidebar Informações