PF prende 23 pessoas em operação do transporte escolar

Por: Rodrigo Antunes

Policiais realizaram busca e apreensão na Seduc e prenderam dois funcionários e mais 21 empresários. Empresas fraudavam licitações com valores superfaturados.

PF prende 23 pessoas em operação do transporte escolar Centro Administrativo de Teresina. Foto: CCOM

Nas primeiras horas desta quinta-feira (02) a Polícia Federal realizou uma operação em setores da Secretaria de Educação, que fica no Centro Administrativo, zona sul de Teresina.

Durante a ação dos agentes, os funcionários foram impedidos de entrar no prédio e permaneceram no local recolhendo materiais que devem servir para as investigações.

A Secretaria de Educação emitiu uma nota e disse que está colaborando com as investigações. Ainda segundo a Seduc, medidas foram tomadas para coibir o desvio de verbas por parte de empresas de transporte escolar no estado do Piauí.

Em entrevista coletiva, a Polícia Federal informou que prendeu 23 pessoas sendo dois funcionários da secretaria e outros 21 empresários. Os nomes das empresas e das pessoas não foram revelados. A investigações iniciaram após suspeita em uma licitação realizada em Campo Maior, onde o certame teria sido direcionado a uma empresa que subcontratava outra com valores superfaturados.

O trabalho de investigação foi realizado pela Controladoria Geral da União (CGU) e abrangeu municípios do Piauí e do Maranhão.

 

Confira abaixo a nota da Seduc

*NOTA SEDUC – OPERAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL*

A Secretaria de Estado da Educação do Piauí (Seduc) informa que está colaborando plenamente com a investigação em curso da Polícia Federal que investiga empresas que estariam fraudando licitações em contratos do Transporte Escolar.

A Seduc reitera que uma série de procedimentos já foram efetuados a fim de melhorar a fiscalização e a operacionalização do serviço, visto que, desde 2013, os procedimentos são alvos de investigação e questionamentos.

Após diálogo, a secretaria buscou, juntamente com órgãos de controle, aperfeiçoar o sistema para evitar possíveis fraudes. Diante disso, foram feitos procedimentos de remodelação do processo licitatório a fim de aumentar o controle e fiscalização. Também foi alterado o método de cálculo de pagamento para o transporte, que antes era feito de acordo com o tamanho da rota e foi alterado para um cálculo de pagamento por aluno transportado.

Todas estas alterações foram amplamente discutidas e aprovadas pelos órgãos de controle, atendendo inclusive recomendação do Ministério Público de Contas e orientações da Controladoria Geral do Estado. As ações foram implementadas por meio de lei aprovada na Assembleia Legislativa e a reestruturação dos convênios com os municípios foram efetuadas por decreto. As medidas executadas pelo Governo ocasionaram em uma redução de cerca de 30% das despesas.

A Secretaria Estadual de Educação se coloca à total disposição dos órgãos de controle para esclarecer quaisquer questionamentos, sempre visando a transparência e o correto funcionamento da administração púbica.

_Secretaria de Estado da Educação do Piauí_

 

 

Sidebar Informações