PRF apreende filhote de tamanduá em abordagem na BR-343

Por: Rodrigo Antunes

Animal estava a bordo de um veículo e era transportado ilegalmente. Homem foi liberado após assinar TCO e animal entregue à SEMAR.

PRF apreende filhote de tamanduá em abordagem na BR-343 Filhote de tamanduá apreendido pela PRF-PI - Foto: Nucom/PRF-PI

Na noite deste domingo (28)  agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF-PI) apreenderam um filhote de tamanduá-bandeira na BR-343, km 333 , em Teresina. 

O animal foi encontrado após os policiais abordarem um veículo FIAT/STRADA de placa NHW-7506 conduzido por um homem de iniciais E.F.R. de 47 anos. Após buscas no veículo, foi encontrado um filhote de animal silvestre da espécie tamanduá-bandeira ( Myrmecophaga tridactyla). 

O condutor não possuía autorização para transporte de animal silvestre e não soube responder a origem do animal.

Pare realizar o transporte deste tipo de animal, são necessários: GTA(Guia de transporte animal), autorização do IBAMA e  um atestado de sanidade expedido por médico veterinário. Como o condutor não possuía tais documentos e não soube responder a origem do animal, o pequeno tamanduá foi apreendido e para o condutor foi lavrado o termo circunstanciado de ocorrência (TCO). 

O animal foi entregue à SEMAR e encaminhado ao zoológico para os cuidados. 

O condutor será enquadrado pelo crime de CAÇA / TRANSPORTE ILEGAL DE ANIMAL SILVESTRE Art. 29. Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida: § 1º Incorre nas mesmas penas I - quem impede a procriação da fauna, sem licença, autorização ou em desacordo com a obtida; II - quem modifica, danifica ou destrói ninho, abrigo ou criadouro natural; III - quem vende, expõe à venda, exporta ou adquire, guarda, tem em cativeiro ou depósito, utiliza ou transporta ovos, larvas ou espécimes da fauna silvestre, nativa ou em rota migratória, bem como produtos e objetos dela oriundos, provenientes de criadouros não autorizados ou sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente. 

Com informações do Nucom-PRF

 

 

Sidebar Informações

Destaques