Servidores municipais da saúde deflagram greve em Teresina

Por: Bruna Ferreira

A paralisação é por tempo indeterminado. A decisão foi tomada após a Prefeitura descontar dos trabalhadores da saúde municipal o adicional de insalubridade

Servidores municipais da saúde deflagram greve em Teresina Votação do Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (Sindserm)

Os servidores municipais da Saúde de Teresina deflagraram greve geral da categoria, por tempo indeterminado, na manhã desta sexta-feira (10). A decisão foi tomada após a Prefeitura de Teresina descontar dos trabalhadores o adicional de insalubridade. Com a paralisação, os servidores exigem a devolução dos descontos retirados.

O Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (Sindserm) disse que a greve vai afetar os serviços das Unidades Básicas de Saúde (UBS), Centros de Assistência Psicossocial (CAPS), atendimentos de consultórios de rua, o Núcleo de Apoio ao Programa de Saúde da Família, Vigilância em Saúde, Vigilância Sanitária, Vigilância Ambiental e Zoonoses.

Em nota divulgada pelo Sindserm, os laudos apresentados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), como justificativa para a retirada, foram fornecidos após ocupação da sede do órgão na última terça-feira (07). Os documentos foram analisados pela assessoria jurídica do Sindserm, que não encontrou conformidade legal que justificasse a retirada do direito dos servidores.

De acordo com o presidente do Sindserm, Sinésio Soares, a greve geral inclui os todos servidores representados pelo Sindserm, com exceção do servidores da enfermagem, pois não são representados pelo sindicato. O presidente afirmou ainda que será enviada uma pauta reivindicatória na próxima semana para ser acrescentada ao movimento.

FMS

O presidente da Fundação Municipal de Saúde, Silvio Mendes, afirma que respeita o direito dos trabalhadores e, por este motivo, recebeu extra agenda, na segunda-feira (6), os representantes das categorias da área da saúde e do Sindserm para discutir sobre a questão da insalubridade.

A FMS, no entanto, foi surpreendida com a indicativo de greve por tempo indeterminado convocada hoje pelo do Sindserm. Todas as reivindicações do sindicado foram atendidas durante o encontro na FMS, afirma Silvio Mendes. Os laudos de avaliação sobre a insalubridade foram entregues às categorias para análise e disponibilizado no site  da Fundação de acordo com a reivindicação dos profissionais. O acordo fechado entre a presidência da FMS, Sindeserm e categorias foi de que após análise dos laudos quem tiver direito legal a insalubridade será pago em folha suplementar.

 

 

Sidebar Informações