Soldado acusado de matar Emilly é exonerado da PM

Por: Francisca Pinto

O soldado Aldo não tinha sido aprovado no exame psicológico, mas havia conseguido entrar na corporação após obter uma liminar.

Soldado acusado de matar Emilly é exonerado da PM Foto: reprodução redes sociais

No início da tarde desta quinta-feira (11) o governador Wellington Dias assinou a exoneração do policial militar, o soldado Aldo Luís Barbosa Dornel, acusado de matar Emilly Caetano Costa, de apenas nove anos, durante uma abordagem policial, no dia 25 de dezembro, na zona leste de Teresina.

No concurso da Polícia Militar do Piauí (PM-PI) de 2010, o soldado Aldo não tinha sido aprovado no exame psicológico, mas havia conseguido entrar na corporação após obter uma liminar.

 

Entenda o caso

A menina Emilly Caetano, de apenas 9 anos morreu após levar um tiro nas costas durante uma abordagem policial na Avenida João XXIII, na zona leste de Teresina.

Os pais da criança, identificados como Evandro da Silva Costa, 31 anos, e Daiane Caetano, de 26 anos, também estavam no carro e foram baleados. Além deles, mais duas crianças filhas do casal, uma de 8 anos e um bebê de 8 meses, também estavam no veículo.

A criança e os pais foram socorridos por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e encaminhados ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas Emilly não resistiu ao ferimento e morreu às 5h da manhã.

 

 

Sidebar Informações