Piauí deve seguir tendência nacional de recuperação e crescimento no setor

Por: Francisca Pinto

A expectativa é positiva para venda, compra de imóvel e até para investidores do mercado.

Piauí deve seguir tendência nacional de recuperação e crescimento no setor Foto: reprodução Google

2019 desponta como um ano promissor para o mercado imobiliário. A expectativa é positiva para venda, compra de imóvel e até para investidores do mercado. E essa configuração se revela tanto no setor residencial, quanto no setor comercial.

No caso dos imóveis residenciais, a tendência de imóveis compactos com infraestrutura e locação por temporada deve aquecer compra, venda e aluguéis. Já no segmento comercial, as empresas têm apostado em um conceito com espaços mais amplos e menos divididos. Contam ainda com a possibilidade de aumento no preço do metro quadrado corporativo a partir de março.

 

5 fatores positivos para o crescimento do mercado imobiliário

1. Facilidade de crédito para financiamento

2. Ampliação do programa Minha Casa, Minha Vida

3. Queda da inflação

4. Aumento da confiança do consumidor

5. Utilização de plataformas digitais


 

No Piauí as taxas de juros de 5% e as quitinetes devem estimular o segmento

O Piauí teve discreta recuperação no setor imobiliário e a expectativa é de crescimento em 2019. O Governo Federal estuda medidas para estimular a construção civil no Estado. Entre elas, o aumento do teto para a compra de imóveis utilizando o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Caso a medida se concretize, aumentam as possibilidades de os trabalhadores realizarem o sonho da casa própria.  

No entanto, o maior atrativo para o mercado imobiliário local são as atuais taxas de juros para o financiamento. Em média, 5% para a modalidade. E correndo por fora, construtoras têm investido em imóveis para jovens e estudantes: as quitinetes. Esses imóveis, via de regra, localizam-se próximos às universidades de Teresina.

Atualmente, as quitinetes são o tipo de imóvel mais procurado na capital. Esse cenário cria expectativas positivas para 2019. E é bom observar que o ciclo do mercado envolve: expansão, excesso, recessão e recuperação.

Após a crise imobiliária a partir de 2010, entramos na fase da recuperação no segundo semestre de 2017 e as vendas cresceram cerca de 10% no ano passado.

 

 

 

 

Sidebar Informações