Em Pedro II: Expedição ao Rio Corrente encerra todo o percurso planejado

A expedição de visita do curso do Rio Corrente até o barramento do Açude Joana foi concluído nesta quarta-feira (19), depois que os participantes continuaram a percorrer o trecho entre as Lajinhas, passando pelo a barragem do Cordeiro indo em direção à ponte, passando na “passagem” em direção ao Olho D’água Pirapora e chegando ao Açude Joana.

 

\"\"


Nesta terceira parte da expedição, os integrantes encontraram o desafio da dificuldade para adentrar o curso desde a barragem do Cordeiro, localizado no bairro Cristo Rei até chegar o Olho D’água Pirapora, já que o curso foi tomado por vegetação típica de rio poluído, de cercas que impediam a passagem e de casas e estabelecimentos comerciais que avançaram sobre o leito.

 

Os representantes das instituições que participaram da expedição ao Rio Corrente estão elaborando um relatório contendo registros fotográficos, coordenadas geográficas de pontos críticos para ser encaminhado às autoridades competentes, cobrando medidas urgentes e imediatas sobre a degradação do Rio Corrente.

 

\"\"

Saida da 3ª parte da expedição, nas Laginhas

 

\"\"

cercas no curso do Rio Corrente 

 

\"\"

barragem do Cordeiro

 

\"\"

agua com cheiro insuportavel na saida da barragem do Cordeiro, no bairro Cristo Rei

 

\"\"

O curso do Rio Corrente aparece como apenas uma água de calçamento

 

\"\"

misturado a casas e lixo

 

\"\"

recebendo descarga de efluentes petroquimicos

 

\"\"

o curso desaparece a meio da vegetação tipica de águas poluídas

 

\"\"

Na conhecida passagem, sofrendo a consequencia da ivasão do leito

 

\"\"

curso logo após o Olho D\'água Pirapora, com muito lixo

 

\"\"

Participantes no final da expedição, nas proximidades do rio com o Açude Joanna

 

Para o coordenador do CERAC, que participou de toda a expedição no curso do Rio Corrente, diz preocupado com o que observou durante o trabalho: “Ao longo dos anos, a sociedade pedrosegundense tem sido conveniente com a degradação do rio Corrente, preferindo ignorar o que estava acontecendo” desabafa Hélbio Horácio. “Para revitalizar o Rio Corrente é necessário mexer com interesses pessoais de alguns proprietários que está invadindo o leito do rio com medidas judiciais, um projeto técnico e de aporte de recursos financeiros por parte dos governos” acrescenta o participante da expedição.

 

 

 

Sidebar Informações