Ministério Público reúne responsáveis pela a falta de água em Pedro II

Por: Sucursal em Pedro II-PI e Lagoa de S. Francisco-PI

Foi definida a data de 16 de novembro como prazo de adoção das medidas

Ministério Público reúne responsáveis pela a falta de água em Pedro II Reunião/Foto: ASCOM

Na última terça-feira (31), foi realizada em Teresina, uma reunião proposta pelo o Ministério Público do Estado do Piauí com o objetivo de discutir a escassez de água para o abastecimento público na zona urbana da cidade de Pedro II.

A AGESPISA participou através do seu engenheiro Lailson Anselmo que destacou a necessidade de fazer uma limpeza nos poços utilizados pela a Companhia para aumentar a vazão e no qual a maquina de limpeza de poços estará se deslocando a Pedro II nos próximos vinte dias.

O engenheiro Francisco Lages, da CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais), defendeu que a perfuração de poços artesianos suprirá a problemática no abastecimento no atual momento. Defende que a curto prazo, o abastecimento a partir do aquífero na região do povoado São Luís, distante a 22 quilômetros da sede do município. Em longo prazo, a construção de um sistema do Açude Caldeirão, num total de 34 quilômetros. Segundo informações, o reservatório da vizinha cidade de Piripiri dá pra abastecer Piripiri, Lagoa de São Francisco e Pedro II por 21 anos mesmo com estiagens, a evaporação e a irrigação.

O representante da Defesa Civil do Estado Sr. Vitorino Tavares da Silva Neto, informou que o Órgão vive o contingenciamento de recursos e que a Defesa Civil age quando não há recursos hídricos de modo algum.

O Prefeito de Pedro II Alvimar Oliveira de Andrade, que estava presente na reunião, defendeu que as aguas do volume morto só poderá ser utilizado no prazo de trinta ou quarenta dias. Destaca ainda que a AGESPISA poderia fazer usos dos poços já existentes no abastecimento sendo eles o da Cooperativa de Pescadores que ficam próximo às margens da Orla do Açude Joana, Horto Florestal no bairro Boa Esperança, na localidade Aroeira e um no povoado Santana.

O Dr. Mauro Benício da Silva Junior foi convidado como representante da OAB – Seccional Piripiri destacou que a atual crise hídrica é resultante na falha na gestão do sistema e defende que os poços públicos e privados poderiam ser declarados para serem utilizados no reforço do sistema de fornecimento d’água.

Ficou definido a data de 16 de novembro para os Orgãos responsaveis o prazo de dá encaminhamentos as medidas resolutivas quanto a crise hidrica que afetou a cidade de Pedro II, onde será realizada uma nova reunião.

 

 

 

Tópico: Pedro II

Sidebar Informações