MP reúnem novamente os órgãos envolvidos com a crise hídrica de Pedro II

Por: Sucursal em Pedro II-PI e Lagoa de S. Francisco-PI

Desde o mês de setembro, varias rusas deixaram de ser abastecida em razão do baixo acumulo das águas do Açude Joana

MP reúnem novamente os órgãos envolvidos com a crise hídrica de Pedro II Nova reunião realizada sobre a crise hídrica em Teresina (foto: reprodução Internet)

Na ultima quinta-feira (16/11), o Ministério Público do Estado do Piauí reuniu em Teresina, os representantes dos Órgãos envolvidos com a crise hídrica no município de Pedro II. Essa reunião ficou prevista desde a convocação feita pelo o Ministério Público no último dia 31 de outubro.

A Agespisa foi representada pelo o seu engenheiro Lailson Anselmo, que informou que a empresa trabalha com o cronograma de perfurar 4 novos poços que foi alocadas pela a equipe técnica. Segundo o engenheiro, está sendo elaborada uma campanha educativa contra o desperdício de água e que existe uma equipe técnica na instalação de hidrômetros nas residências dos usuários do sistema.

Outra informação dada pelo o representante da Agespisa é que o prazo para o uso do poço da Colônia de Pescadores é de quarenta e cinco dias a contar do dia 14 de novembro. Esse prazo é em detrimento da falta de equipamentos e da aprovação do projeto elétrico.

A Agespisa ainda estuda a mudança do flutuante para próximo da parede do Açude Joana, para captar os últimos dois por cento existentes no reservatório.

Esteve presente também na reunião, o presidente da Subsecção da OAB Piripiri, Mauro Benício da Silva Junior, que relata a  total irresponsabilidade da Agespisa em relação à gestão de água em Pedro II e sugeriu a diretoria à promoção de uma força-tarefa para verificar a situação do abastecimento nos bairros.

O Ministério Público determinou a Agespisa que apresente, no prazo de dez dias, toda a documentação comprobatória do contrato de concessão dos serviços de abastecimento no município de Pedro II a relação do quadro de funcionários  e também dos investimentos realizados nos últimos cinco anos e o prognósticos de investimentos.  Ao final, o Ministério Público deu o prazo de vinte e quatro horas, onde a Agespisa apresente o relatório técnico sobre as soluções propostas para o abastecimento de água em Pedro II.

 

 

Tópico: Pedro II

Sidebar Informações