Comissão discute obras atrasadas em audiência

Por: Juliana Gomes

Deputado Luciano Nunes criticou a demora na conclusão de diversas obras na capital e nas rodovias. Governo afirma que ponte do meio será entregue próximo mês.

Comissão discute obras atrasadas em audiência Luciano Nunes diz não entender porque obras estão paradas. Foto: Juliana Gomes

Na manhã desta quinta-feira (18) foi realizada uma audiência na Assembleia Legislativa do Piauí sobre as obras que estão paradas na capital. Estiveram presentes o secretário de transporte, Guilhermano Pires e o chefe do Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER), Castro Neto.

De acordo com o deputado Luciano Nunes (PSDB), o governo afirma que tem dinheiro em caixa, mas diversas obras na capital e nas rodovias estaduais continuam paradas. Ele ainda diz que a Comissão de Infraestrutura vai continuar acompanhando o andamento dos investimentos.

“Como é que o governo diz que tem dinheiro em caixa e obras importantes como essa de mobilidade urbana como a duplicação da BR-343, da BR-316, o viaduto da Miguel Rosa, a própria ponte do meio, essas obras não se concluem. Desde o ano passado nós estamos cobrando a execução, que o cronograma seja cumprido. Infelizmente hoje, mais uma vez, o governo diz que as obras estão atrasadas por conta das empresas, que os pagamentos estão em dia e colocam novas datas para a inauguração dessas obras. Nós vamos checar essas informações e manter vigilante na cobrança para o cumprimento dessas datas”, afirmou.

Já o secretário de transporte, Guilhermano Pires explicou que a obra da ponte do meio teve que sofrer intervenções, por isso, a demora. Segundo ele, até junho e julho, a obra estará concluída.

“O caso da ponte do meio é em virtude da dificuldade da reforma da ponte JK. É uma obra antiga, uma obra 60 anos que nunca tinha sofrido uma intervenção, então a necessidade de reparo foram surgindo durante a reforma e esses reparos foram sendo realizados, atrasou um pouco a execução da obra, mas agora está praticamente concluída. Deveremos entregar a ponte do meio no final de junho e a até a segunda quinzena de julho a parte de arborização e iluminação da interligação dos canteiros”, disse.

Sobre a interminável obra do rodoanel, o secretário declarou que a construtora está sem condições financeiras de continuar o andamento da obra em várias cidades do país e que isso afeta o Piauí.

"O rodoanel é um problema maior, mas não é um problema ligado diretamente ao estado do Piauí. A obra tem saúde financeira, não existe nenhum débito relacionado a construtora, todas as licenças estão em dias, o problema é que a construtora perdeu a capacidade de investimento, ela tem poucos recursos. Várias cidades estão com esse problema de estar parado e isso afeta a obra no Piauí”, finalizou.   

Com informações do repórter Rodrigo Antunes.

 

 

Sidebar Informações