Deputados aprovam reajustes sob confusão e protestos na Alepi

Por: Rodrigo Antunes

Reajustes foram menores que o esperado pelas categorias e teve tumulto nas áreas comuns da Alepi.

Deputados aprovam reajustes sob confusão e protestos na Alepi .

Os Projetos de Lei 32/18 e 33/18 do Poder Executivo que dispõem sobre a concessão de reajuste salarial de 2,95% para professores, servidores da Secretaria de Educação, policiais militares e civis, agentes penitenciários, bombeiros militares, auditores e procuradores do Estado foram aprovados, na sessão plenária de hoje (21) da Assembleia Legislativa. O reajuste foi menor do que esperado pelas categorias e foi acompanhado sob intenso protestos das categorias. Houve até tumulto na entrada dos deputados no plenário. Pelo menos duas pessoas se feriram durante os protestos.

Os deputados Robert Rios (DEM), líder da Oposição, Marden Menezes (PSDB), Dr. Pessoa (SD) e Rubem Martins (PSB) votaram contra as proposições que foram aprovadas em primeira e segunda discussões.

Ao discutir o PL 33/18, o deputado Marden Menezes disse que a votação da matéria estava prejudicada porque o Diário Oficial do Estado já havia publicado a Lei 7131/18 que trata do aumento nos salários dos professores e trabalhadores em educação básica. “Como a Assembleia não pode votar uma lei com o mesmo teor este ano, declaro o meu voto contra a proposição”, afirmou ele.

Em seguida, Robert Rios, Dr. Pessoa e Rubem Martins, também, declararam voto contrário ao Projeto de Lei. Os professores ocuparam os corredores da Assembleia Legislativa e as galerias do plenário para protestar contra a votação da matéria.

Ainda na sessão desta manhã, os deputados aprovaram em primeira e segunda discussões o Projeto de Lei Complementar 08/18 do Poder Judiciário que dispõe sobre a criação do cargo de juiz auxiliar da Vice-Corregedoria Geral de Justiça e reformula a composição do Conselho de Administração do Fermojupi (Fundo de Modernização do Poder Judiciário do Piauí).

Na primeira discussão da matéria, 24 deputados votaram a favor do PLC do Poder Judiciário, um parlamentar votou contra e cinco estavam ausentes da sessão plenária. Na segunda discussão, 23 votaram favoráveis, um votou contra e seis estavam ausentes do plenário. As proposições aprovadas esta manhã seguirão agora para sanção pelo governador Wellington Dias.

 

 

Sidebar Informações