Deputados batem boca em discussão de projeto que aumenta ICMS

Por: Rodrigo Antunes

Projeto trava na CCJ após intensa discussão entre deputados de oposição e situação. Deverá ser votado na próxima reunião, que acontece terça (31).

Deputados batem boca em discussão de projeto que aumenta ICMS Comissão de Constituição e Justiça da Alepi. Foto: Rodrigo Antunes/45raus

A discussão do projeto do Governo do Estado que prevê o aumento das alíquotas de ICMS de alguns serviços terminou em intenso bate-boca na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alepi nesta terça-feira (24).

Esta é a terceira vez que o projeto é levado para discussão na comissão e ainda não foi votada. A discussão começou após o deputado Robert Rios (PDT) iniciar com críticas ao projeto, que, segundo a oposição, chegou até a casa como um projeto para parcelamento de dívidas de empresas com o fisco estadual.

Robert teria desferidos duras críticas ao projeto e ao presidente da comissão, deputado Evaldo Gomes (PTC) pois o parlamentar teria colocado o projeto em votação mesmo sem este estar na pauta do dia. Outras pautas estavam à frente do projeto na análise dos deputados e somente após os deputados presentes votarem e aprovarem em primeira votação do projeto os ânimos acalmaram.

Durante a discussão o microfone de Robert foi desligado a pedido de Evaldo Gomes. Chateado, Robert se levantou e pegou o microfone do deputado Firmino Paulo.

Logo após, Evaldo pede que Robert levante a mão quando quiser falar “Deputado Robert, você tem que pedir a palavra, peça a fala e levante a mão que libero o microfone e deixo você falar”. Em resposta, Robert diz que só poderia falar quando “descesse a mão”. “Eu tenho direito de ter um microfone, o Robert vai ser ouvido não quando levantar a mão é quando eu descer a mão”, disse.

Bastante exaltado o deputado Evaldo ‘chamou’ Robert para a briga. “Pois venha descer, venha descer deputado, pois venha que você vai conhecer o Evaldo". 

Mesmo assim, a votação para encaminhar para plenário ainda não foi realizada, devendo o projeto ser novamente discutido em reunião a partir desta quarta-feira. A votação na comissão deverá ficar para a reunião da CCJ da próxima terça-feira (31 de outubro).

Com informações da repórter Francisca Pinto, direto da Alepi

 

 

Sidebar Informações