Ex-jogador Washington irá apoiar Bolsonaro na câmara

Por: Rodrigo Antunes

Washington Stecanela Cerqueira era suplente na coligação do DEM, partido de Lorenzoni.

Ex-jogador Washington irá apoiar Bolsonaro na câmara Washington é ex-jogador e suplente de deputado federal. Foto: Facebook

Pego de surpresa com a convocação para assumir o cargo de deputado federal no lugar de Onyx Lorenzoni, o ex-jogador de futebol Washington Coração Valente (PDT-RS), ex-Fluminense, Atlético Paranaense e São Paulo, afirmou que estará alinhado às pautas defendidas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro na Câmara ainda nesta legislatura.

Washington Stecanela Cerqueira era suplente na coligação do DEM, partido de Lorenzoni. Ele foi candidato à Câmara em 2014 pelo PDT do Rio Grande do Sul, mas não se elegeu. Em 2018, ele não se candidatou. Atualmente é dirigente do clube Itabaiana, de Sergipe.

Ele se encontrou com Lorenzoni rapidamente na tarde desta segunda, na Câmara. O ex-jogador deverá tomar posse nesta terça, 6, durante a sessão do plenário da Casa. Washington ficará no mandato até o fim de janeiro, quando acabará a atual legislatura.

"Estou assumindo uma cadeira importantíssima de um deputado influente, que está fazendo um grande trabalho e temos que ter a responsabilidade de dar continuidade ao que ele já vinha fazendo, claro, com as minhas ideias, mas tenho que apoiá-lo", disse.

Questionado sobre se há uma preocupação de entrar em atrito com o seu partido devido à sua posição de apoio a Bolsonaro - o PDT será oposição ao futuro governo -, Washington disse não temer problemas.

"Acho que não até porque não teremos muito tempo. Quero dar continuidade ao trabalho do deputado Onyx, mas também vou seguir a minha linha de pensamento", disse.

O novo deputado afirmou que priorizará pautas ligadas ao esporte, à saúde e à segurança. Questionado sobre a proposta de Bolsonaro de extinguir o Ministério do Esporte, Washington afirmou não ver grandes problemas desde que as políticas voltadas para o setor sejam mantidas.

"Isso não quer dizer necessariamente que ele vai cortar recursos para o esporte. A gente vai conversar muito. O esporte também ajuda na questão da saúde e da segurança. Então, esse alinhamento eu acho que ele não vai deixar de fazer", afirmou.

 

Fonte: Terra

 

 

Sidebar Informações