Ministro Ciro Nogueira chama Lula de “cabo eleitoral” de Bolsonaro

Por: Veridiana Carvalho

Chefe da Casa Civil é um dos principais articulistas da campanha à reeleição do presidente Jair Bolsonaro

O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, chamou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de cabo eleitoral do presidente Jair Bolsonaro (PL), em razão de declarações polêmicas recentes dadas pelo petista.

Em post no Twitter nesta terça-feira (12/4), o ministro publicou vídeo com trechos das falas de Lula e escreveu: “A nós só resta agradecê-lo por tornar mais fácil a nossa missão de lembrar o povo brasileiro do verdadeiro PT”.

Ex-aliado do PT e presidente licenciado do PP, Ciro Nogueira é um dos articulistas da campanha à reeleição de Jair Bolsonaro.

Falas polêmicas

Na última semana, Lula proferiu uma série de declarações polêmicas que serviram de munição para críticas de adversários.

Em um evento na quarta-feira (6/4), Lula defendeu a descriminalização do aborto no país e apontou que o tema deveria ser tratado como uma questão de saúde pública, e não como crime. Após ser alvo de críticas de religiosos e bolsonaristas, ele repetiu ser pessoalmente contrário ao aborto, mas enfatizou a defesa de que a questão precisa ser tratada como saúde pública.

Lula: “Aborto existe, mesmo que a lei proíba e a religião não goste”

Também na quarta, em evento promovido pela Fundação Perseu Abramo, o ex-presidente fez uma dura crítica à elite brasileira e também criticou a classe média brasileira, dizendo que esta parcela da sociedade “ostenta um padrão de vida que nenhum lugar do mundo a classe média ostenta”.

Já a sindicalistas, Lula pediu que mudassem a forma de pressionar os congressistas e passassem a procurar deputados em suas casas, nas cidades onde eles moram.

“Se a gente mapeasse o endereço de cada deputado e fossem 50 pessoas na casa, não é para xingar não, é para conversar com ele, com a mulher dele, com o filho dele, incomodar a tranquilidade dele, surte muito mais efeito do que fazer a manifestação em Brasília”, disse Lula.

A ideia expressada pelo petista gerou reação de parlamentares bolsonaristas que chegaram a ameaçar, por meio das redes sociais, receber as pessoas à bala.

Fonte: Metrópoles

 

 

Sidebar Informações