Oposição atribui crise no estado a falta de gestão no governo

Por: Rodrigo Antunes

Mesmo com explicações do secretário Rafael Fonteles, deputados de oposição acreditam que motivo para crise seja bem maior que o fator previdenciário.

Oposição atribui crise no estado a falta de gestão no governo Deputado Rubem Martins. Foto: Rodrigo Antunes/45graus

Mesmo com a explicação do secretário de fazenda, Rafael Fonteles, na última quarta-feira (28) sobre a situação das finanças do estado, a oposição ao governo na Alepi não se deu por satisfeita com os argumentos apresentados.

O secretário afirmou que o maior entrave do estado é a questão previdenciária, onde, com o grande aumento no número de servidores inativos, acabou por onerar ainda mais os recursos do estado que precisa cobrir um déficit previdenciário que chega a R$ 1 bilhão.

Para o deputado Rubem Martins (PSB) os argumentos do secretário não convencem e, segundo ele, o maior peso para o orçamento do estado é a falta de gestão e as inúmeras obras que estão sendo liberadas para aliados no interior. O deputado chegou a afirmar que tem deputados na casa que andam prometendo quilômetros de asfaltos a aliados pelo interior do estado.

“Eu acredito que o que mais está quebrando o estado é a falta de gestão do governo. O governador por onde anda é dando obras e autorizando serviços e está aqui, aqui na capital, não é muito difícil tem um monte de prefeito em secretarias feito zumbis com autorizações expressas do governador e sem ter a necessária cobertura financeira para atender essas obras que o governador tanto autoriza e não realiza”, disse o deputado.

Para o oposicionista, a série de ações realizadas pelo governo como o aumento de alíquotas e o decreto suspendendo pagamento de dívidas, mostram um cenário de que o estado está quebrado. Rubem afirma com base na resposta que teve do secretário durante a audiência pública realizada na Alepi.

“Pelas circunstancias, pelo que foi feito nos últimos dias, pelo decreto do governador cancelando empenhos não reconhecendo a dívida de serviços e obras executadas é que nós entendemos que o estado está quebrado. É por isso que eu perguntei pro secretário se o estado quebrou. Ele me disse que ainda não, mas se continuarem as coisas acontecendo com a desorganização que está no governo é inevitável que o estado quebra e essa é uma preocupação de todo o povo do estado do Piauí que confiou no governador que está fazendo uma festão, na nossa opinião, incorreta e desastrosa. Eu torço para que o governador corrija os caminhos e regularize a situação do estado do Piauí par ao futuro, não só pra agora”, finalizou o deputado.

Na apresentação do balanço econômico do estado do último quadrimestre, o secretário Rafael Fonteles chegou a afirmar que o estado estava proibido de dar reajustes aos servidores. Ainda em fala com jornalistas após audiência, o secretário afirmou que o estado vive em momento de alerta e que o risco de atraso de salário e décimo terceiro é ‘reduzido’

 

 

Sidebar Informações