Wellington lê mensagem com ausência de deputados na Alepi...

Wellington lê mensagem com ausência de deputados na Alepi

Por: Rodrigo Antunes

Abertura do ano legislativo na Alepi foi marcado por ausência de deputados e protesto da oposição contra o governo.

Wellington lê mensagem com ausência de deputados na Alepi Wellington durante leitura da mensagem na Alepi. Foto: alepi

Nesta segunda-feira (05) o governador do Piauí, Wellington Dias, esteve na Assembleia Legislativa do Piauí para ler a mensagem de abertura do ano legislativo.

O gestor falou de improviso na Assembleia e admitiu que 2017 foi o ano mais desafiador de sua vida. Wellington Dias abriu mão do discurso escrito para falar das dificuldades enfrentadas desde 2015, inclusive sobre a crise financeira que quebrou vários estados. A solenidade não contou com a presença de deputados de oposição,que fizeram de sua ausência uma espécie de protesto contra o governo.

Agradecendo à Assembleia Legislativa pela aprovação dos pleitos encaminhados pelo Executivo, o governador afirmou que o objetivo é honrar os contratos e ter sempre como prioridade os serviços do Estado funcionando e não apenas a folha de pagamento, “alavancando investimentos com recursos do Tesouro Estadual e em parceria com a União e com a iniciativa privada, consolidando as PPPs”, acrescentou, citando as subconcessão da Agespisa, e as PPPs da Ceasa e dos terminais rodoviários de Floriano, Picos e Teresina.

Wellington Dias destacou a instalação de fibra ótica desde Teresina até Parnaíba e seguindo em direção a Picos, Simplício Mendes, São Raimundo Nonato, Bom Jesus e Corrente, também rumo ao Médio Parnaíba até Uruçuí, “fechando um oito. Hoje são 96 e queremos chegar a mais 128 municípios, ter todos os municípios do Piauí com elevada tecnologia em fibra ótica”.

Brasília

Dias adiantou a viagem a Brasília, onde participa do Fórum de Governadores, com o colégio de líderes e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quando vai ser discutido o Fundo. Nacional de Segurança Pública.

O governador defendeu a legalização de jogos eletrônicos, citando as apostas on line feitas em jogos de futebol, que não são tributadas e podem gerar R$ 20 bilhões de arrecadação que poderiam ser investidos em segurança. “A arma e a droga nas fronteiras é responsável pela violência no país. O crime está organizado nacionalmente. Se não entrar arma e drogas na fronteira, vai diminuir o crime”, acredita o chefe do Executivo, ressaltando também o atendimento na rede de saúde do Estado para dependentes químicos.

 

 

Sidebar Informações