O parceiro sugere novidades no sexo e você não está preparada?

O parceiro sugere novidades no sexo e você não está preparada?

Todo relacionamento, após um tempo, pede uma pimenta, algo diferente, ideias para se reinventar e brincar com o amor que já existe ali. As sugestões são super variadas, e a criatividade fica a cargo do casal, mas e se o parceiro fizer uma sugestão que você não sabe se deve aceitar ou não? Algo que jamais se imaginou fazendo? Calma, essa resposta, a gente te ajuda a formular, agora.

COMO RECEBER O CONVITE A ESSA NOVIDADE

O primeiro passo é pensar pelo lado positivo: você está sempre aprendendo e conhecendo novidades, grandes ou pequenas, todos os dias. Pode ser desde provar um doce diferente a fazer um caminho até o trabalho ao qual não está acostumada. “Quando o assunto é sexo, ESTEJA DISPOSTA A OUVIR. Embora seja o marido que esteja convidando, a mulher tem medo do julgamento”, diz a PSICÓLOGA E TERAPEUTA SEXUAL ADRIANA SEVERINE.

DESCOBRINDO LIMITES, VALORES E SENSAÇÕES

Você conhece seus limites? Independente da resposta, é importante estar aberta, MAS SEM SE AGREDIR. “Tem que ir testando as novidades ate saber qual o ponto de parada, aquele que não vai mais ser prazeroso. O bem estar tem que ser para os dois, e, em uma relação saudável, o próprio homem sente-se bem quando vê que está dando prazer para a mulher”, explica a profissional.

Na hora de tomar a decisão, ainda há um fantasma que assombra muitas mulheres, aquele que diz “QUEM NÃO TEM EM CASA, VAI BUSCAR NA RUA”. Adriana ensina a combatê-lo: “você pode experimentar e não gostar, mas não deve fazer nada por medo de que o parceiro vá procurar na rua. Tem que ter coragem de assumir que não gostou. Isso é se respeitar como ser humano”. Ela ainda complementa, que “quando o homem começa a forçar aquilo que você tentou e não achou prazeroso, É MELHOR QUESTIONAR O RELACIONAMENTO COMO UM TODO. Se está realmente valendo a pena, porque fazer o que não gosta, única e exclusivamente para manter o marido, é se autoviolentar”.

O ideal é sempre PUXAR PELA CONVERSA para manter a negociação e o próprio relacionamento em um patamar saudável. Às vezes, questões como filhos e dinheiro também interferem. “Se você tem uma independência financeira, se sente mais livre para dizer o que e o que não gosta. Caso não tenha, o legal é CONVERSAR E NÃO BRIGAR com o parceiro, explicar o porquê e o mal que aquilo pode te causar. Coloque seu ponto de vista SEM JULGAMENTO, sem dizer que o que ele quer é errado, ou que sua religião não deixa”, orienta a terapeuta.

Adriana frisa: “defina o que é bom pra você, porque OS OUTROS NÃO PRECISAM SABER O QUE ACONTECE DENTRO DE QUATRO PAREDES. O momento é seu e do seu parceiro”.

DECIDIDA E FELIZ

Se você realmente percebeu que essa prática não te atende, que tal lançar uma contraproposta? “De repente, flexibilizar e SUGERIR UMA ALTERNATIVA PODE SER UMA ÓTIMA SAÍDA. ‘E se tentarmos desse outro modo, que dá prazer para ambos?’” recomenda Adriana. A maneira como a sugestão é feita também é fundamental. Segundo a terapeuta, “sexo não pode ser baseado em sim, eu faço, não eu não faço, tem que ser um ‘vamos tentar’”.

FAÇA POR VOCÊ

Muitas mulheres se perguntam se vale a pena fazer isso pelo parceiro, e Adriana tem a resposta. “VALE A PENA ARRISCAR, SE FOR POR VOCÊ MESMA. Essa atitude te faz descobrir novos prazeres e formas diferentes de amar. Experimentar a nova proposta pode ser ótimo, mesmo que a ideia venha do parceiro”, afirma. Ela ainda deixa um recado: “Você precisa ser um pouquinho egoísta, sim. ‘Eu tenho prazer, tenho vontade e TENHO DESEJOS E QUERO QUE ELES SEJAM SATISFEITOS também’”.

Fonte: daquidali

 

 

Sidebar Informações