Sindicato irá protestar contra regime próprio de previdência em Valença

Por: Allan Matos

Gestão quer implantar regime próprio, mas servidores não aceitam o projeto. Manifestação deve acontecer nesta sexta-feira pela manhã e com ato durante a tarde.

Sindicato irá protestar contra regime próprio de previdência em Valença Presidente do SINDSERV, Carlos Rosa. (Foto: Portal V1)

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Valença (SINDSERV), anunciou uma paralisação municipal nesta sexta-feira (24) acompanhada de manifestação em frente à Prefeitura de Valença do Piauí. O protesto está marcado para as 9hs e é uma forma de demonstrar a rejeição ao projeto enviado a Câmara de Vereadores que cria o regime Próprio de Previdência Municipal.

O presidente do SINDSERV, Carlos Rosa, afirma que a prefeita Ceiça Dias (PTC), apresentou à Câmara um projeto que cria o regime próprio de Previdência sem apreciação da categoria e da população em geral. Segundo o sindicalista, a intenção do poder municipal é isentar o município da prestação de contas com o INSS. Carlos Rosa denuncia que o projeto entrou na sessão sem estar em pauta e foi apresentado sem reunião prévia com os servidores, que se sentiram desrespeitados com a ação do executivo municipal.

“A atual gestora quis implantar esse projeto, que há dois anos foi rejeitado pelos servidores em uma audiência pública, de forma exclusa, por baixo dos panos, sem procurar saber se o servidor estava de acordo com a proposta. Simplesmente apresentou o projeto por baixo dos panos, sem nem está em pauta na sessão”, relatou Carlos Rosa.

Repasses do INSS atrasados

Ainda de acordo com o presidente do SINDSERV, até a última segunda-feira (20), o repasse da prefeitura para o INSS estava atrasado nos meses de janeiro e fevereiro. O sindicato tomou conhecimento do atraso através da denúncia de uma professora que procurou o órgão para regularizar a aposentadoria e foi informada que os repasses da prefeitura estavam atrasados.

O atraso em repasses para o sistema de previdência do Governo Federal pode levar o município para a lista de inadimplentes, impossibilitando o repasse de recursos federais e criação de convênios até que a situação seja resolvida.

Com isso, a categoria espera que a partir dessa manifestação, a prefeitura volte atrás para que uma audiência pública discuta o projeto da previdência própria municipal antes de ser votado em plenário.

“A gente espera ser ouvido e que eles voltem atrás para que tenhamos uma audiência pública para discutir esse projeto até equacionar esse problema. Nós queremos mesmo é barrar esse projeto, que ele não seja aprovado de forma alguma. Do jeito eu ele está só vem a prejudicar o servidor”, conclui o presidente do SINDSERV.

 

 

Sidebar Informações

Destaques